John F. Kennedy discursou no Hotel Waldorf-Astoria em New York a 27 de Abril de 1961, e disse o seguinte:

The very word secrecy is repugnant in a free and open society, and we are as a people inherently and historically opposed to secret societies, to secret oaths, and to secret proceedings.

We decided long ago that the dangers of excessive and unwarranted concealment of pertinent facts far outweighed the dangers that are cited to justify it.
Even today, there is little value in opposing the threat of a closed society by imitating its arbitrary restrictions.
Even today, there is little value in insuring the survival of our nation if our traditions do not survive with it.
And there is very grave danger that an announced need for increased security will be seized upon by those anxious to expand its meaning to the very limits of official censorship and concealment.

That I do not intend to permit to the extent that it is in my control.

And no official of my Administration, whether his rank is high or low, civilian or military, should interpret my words here tonight as an excuse to censor the news, to stifle dissent, to cover up our mistakes or to withhold from the press and the public the facts they deserve to know . . . .

I can only say that the danger has never been clearer and its presence has never been more imminent.

It requires a change in outlook, a change in tactics, and a change in missions—by the government, by the people, by every businessman or labor leader, and by every newspaper.
For we are opposed around the world by a monolithic and ruthless conspiracy that relies primarily on covert means for expanding its sphere of influence—on infiltration instead of invasion, on subversion instead of elections, on intimidation instead of free choice, on guerrillas by night instead of armies by day.
It is a system which has conscripted vast human and material resources into the building of a tightly knit, highly efficient
machine that combines military, diplomatic, intelligence, economic, scientific and political operations.
Its preparations are concealed, not published. Its mistakes are buried, not headlined. Its dissenters are silenced, not praised. No expenditure is questioned, no rumor is printed, no secret is revealed.

(Para quem tem dificuldade no inglês pode traduzir no tradutor, não use o google, há mais tradutores, não permite monopólios do pensamento e da tirania.)


Penso que nos dias de hoje, para quem tem estudado estes temas, não há qualquer dúvida de que John F. Kennedy estava a falar dos socialistas fabianos, socialistas britânicos cujo objectivo é promover o
princípios imperiais e comunistas)e os seus esforços para instalar a Desordem da Nova Ordem Mundial,
escravizar e despovoar o planeta, bem como dominar através do totalitarismo completo.

Os socialistas fabianos, também eram conhecidos como a cabala marxista, e ou de Nova Ordem Mundial, começou com Mayer Amschel Rothschild de Frankfurt. Ele pediu ao jesuíta “apóstata” Adam Weishaupt para projetar uma organização com a qual Mayer pudesse governar o mundo por meio de dinheiro. Em 1 de maio de 1776, esta ordem secreta para O Novo Mundo foi apresentada a Rothschild. Weishaupt denominou a ordem de Illuminati, e que após a conferência Wilhelmsbad da maçonaria em 1781, se infiltrou-se na mesma e ainda sobrevive.

Ao voltar para casa da conferência, o conde maçom de Virieu, disse: “Só posso dizer que tudo isso é muito mais
sério do que você pensa. A conspiração que está sendo tecida é tão bem pensada, que será impossível para a Monarquia e a Igreja para escapar disso. ”
Este movimento Illuminati – hoje chamado de iluminismo na União Europeia – é a crença dos Illuminati em sua
reivindicação especializada e proprietária de iluminação especial. Tem suas raízes no conceito de “raça superior” do Talmude Farisaico, como Mayer Rothschild era um “piedoso” judeu do Talmud e proponente de criar uma raça superior.
Julian Huxley primeiro presidente da Unesco, irmão de Aldous Huxley, bem como Bertrand
Russell, introduziu a ideia de ditadura científica global por meios de eugenia e tornando a humanidade escravos através da psicologia das massas. Mas, mais do que isso, eles querem que as pessoas amem sua escravidão. Não lhes parecem familiares com estes novos tempos. Uma vez completamente estabelecida, a sua ditadura
será impossível de abolir. Essas agendas foram financiadas por Fundações Rockefeller, Ford, Carnegie, Mellon, Harriman e Morgan, tomando forma na virada do século 20, com Hitler desenvolver ainda mais as idéias e o sistema no Holocausto.

Após a Segunda Guerra Mundial, as ferramentas de eugenia são divididas, em controle, genética, ambientalismo e higiene mental.
Os eugenistas estão usando ferramentas como manipulação genética e tecnologia para promover a sua agenda insidiosa. Seu objetivo é o controle global da mente sobre a humanidade. Servidão, desigualdade e extinção dos fracos fazem parte do manual.
O mais conceituado autor da eugenia é Edwin Black, ele escreveu a história oficial da eugenia em seu livro, Guerra Contra os Fracos, no qual ele explica que, “o esforço incremental para transformar a eugenia em genética humana forjou toda uma infraestrutura mundial ”, com a fundação do Instituto de Genética Humana em Copenhagen em 1938, liderado e financiado pela Fundação Rockefeller.
Hoje apesar de não abandonar os objetivos da eugenia, o promovem de forma discreta, o movimento de eugenia se tornou uma melancia, foi renomeado, agora afirmam “ erradicar a pobreza e salvar o meio ambiente.

Aldous Huxley em 1932 escreveu Admirável Mundo Novo, o livro não foi nenhuma intuição ou obra do acaso, Aldous com toda a certeza tomou conhecimento desta agenda e tentou alertar o mundo, ele olhou para o surgimento das ditaduras com base na “ciência” do futuro. Em seu livro de 1958, “Admirável mundo novo revisitado”, Huxley examinou o quão longe o mundo tinha avançado no curto período desde seu primeiro livro e para onde o mundo estava indo.

Huxley escreveu, “Em economia, o equivalente a uma obra lindamente composta da arte é a fábrica funcionando perfeitamente em que os trabalhadores estão perfeitamente ajustados às máquinas. ” Huxley explicou mais detalhadamente que “O século vinte e um, suponho, será a era do mundo dos Controladores, o sistema científico de castas e o Admirável Mundo Novo ”.
Em um discurso de 1962 na UC Berkeley, Huxley falou principalmente de a “Revolução final” que se concentra em “controles comportamentais” de pessoas: Se você for controlar qualquer população por qualquer comprimento de tempo, você deve trazer um elemento para os levar à Desordem da Nova Ordem Mundial e consentir com o que está acontecendo com eles. Estamos em processo de desenvolvendo toda uma série de técnicas, que permitirão a oligarquia controladora – que sempre existiu e irá presumivelmente continuar a existir – para fazer as pessoas amarem a sua própria escravidão.

Estou convicto que depois do que leio, pesquiso, irá haver ditaduras baseadas na “ciência”, sanitárias, climáticas, em muitos países do mundo.

O objectivo de fazer com que as pessoas consintam o estado de servidão, já foi conseguido, eles imploram por quarentenas, elas pedem um estado forte, uma polícia que eduque o vizinho e o obrigue a não fazer festas e nos tornar impuros, então, é muito provável que tenhamos uma escravidão duradoura e estável, muito mais manejável, uma sociedade que dependesse de pelotões de fuzilamento e campos de concentração, revoltava-se com facilidade.
Hoje os campos de fuzilamento são os créditos sociais da china, se queres viajar não podes falta-te o crédito, não podes criticar a Nova Ordem Mundial, tens de meter a máscara, obedecer, tens de trabalhar ao preço que eles dizem, caso contrário não trabalhas, não comes.