Standley Johnson, pai de Boris Johnson escreveu um livro The Population Problem, enquanto escreveu o livro foi pai seis vezes. Terá ejaculação precoce? Será que os filhos são mesmo dele? Mas olhando mais de perto os filhos têm os mesmos traços do pai, pensam do mesmo modo ignorante, Julian Lincon Simon os refutou há tanto tempo.

Sinceramente, há vinte anos pensava para comigo, que estas ideias tinham ficado enterradas com o nacional socialismo e os experimentos na América, enganei-me, enquano eu imagina um mundo feliz já havia sido feito o relatório Kissinger, exportando a ideia do filho único na China, o relatório basicamente dizia que era dos interesses dos américanos que os outros povos não tivessem filhos, o melhor seria ajudar o amigo Rockfeller nos negócios das clinicas de aborto, ao mesmo tempo que se limitava o crescimento dos povos do terceiro mundo de outras formas, como o clima.
Mas há aqui algo messiânico, uma paixão ardente que não só não parou como cresceu desde que Thomas Robert Malthus, em seu livro de 1798 (An Essay on the Principle of Population) prognosticava o fim do mundo e a fome para o ano de 1880. Não considerou o pormenor da evolução da tecnologia e a consequente produtividade agrícola, não considerou que quantos mais pessoas povoarem o planeta, mais fácil será nascer um filho de Deus que trará mais um invenção magnífica que nos vai melhorar a qualidade vida a todos, e que fazer previsões de longo prazo a mais de horas, uns dias, as variáveis são tantas, não as podemos conhecer, logo não passa de um acto de bruxaria.

Um indivíduo preocupado com o excesso de população, não pode simplesmente ter seis filhos, a prosa não se pode divorciar dos factos.

Standley Johnson demonstra muita preocupação ambiental verde, a nova cor do comunismo, o problema é que quando nós acreditamos em algo, de verdade, e não a usamos como um fim, somos coerentes e começamos por nós próprios, Standley pensa que somos um peso para o planeta, podia viajar menos, cobrir-se com peles de veado, dispensar computadores, luxos, mas nada disso acontece, pelo contrário, eles viaja imenso, consome imenso, produz lixo em forma de livros em grandes quantidades, então e a preocupação com a pasta de papel, as florestas, os camiões, ele terá noção do que é necessário para produzir pasta de papel, computadores, a energia que é preciso produzir?
Como já tem uma idade pouco produtiva, podia aliviar o planeta e cometer suicídio, no entanto, não faz nada disso, segue fazendo precisamente o contrário daquilo que advoga.
Temos argumentos suficientes que ele não acredita nas sua proprias palavras.


https://www.totalpolitics.com/articles/interview/stanley-johnson-goes-green

Malthusianismo de cordão umbilical.


As quarentenas severas no Reino Unido com um “conservador” no poder, sugerem que o conservadorismo foi afectado pelo socialismo fabiano da Nova Ordem Mundial.

Este poderes colocaram programas das suas fundações na China, foi lá que Bill Gates, Rockefeller, entraram com o ar de filantropos sanitários através de Kissinger, uma forma brilhante de mascarar as piores intenções, a China foi o lugar ideal para lançarem as bases do arranjo, desde créditos sociais à agenda do clima e do covid, Maurice Strong chegou a ir para a china viver, dizem que deu aulas numa universidade, de duvidar, normalmente o percurso é ao contrário e não inverso. Ver meus artigos aqui sobre quem era esta personagem no mundo do clima, porque foi homenageado por setenta universidades, ou mais correcto seria, porque não devia tê-lo sido.

Babá de Stalin ou Stalin’s Nanny.

Susan Michie advogando máxima supressão de direitos e a fábula marxista do grande reset

Podemos passar ao covid, a nova ferramenta malthusiana das elites globais com sede em Pequim.
Vou então passar a apresentar outra personagem importante, muito importante. A super-rica, conselheira sénior de Boris Johnson, para o covid, Susan Michie, era tão comunista que os colegas Oxford a chamavam de “Babá de Stalin.” O que é sempre um “elogio”, escabroso, diga-se.

A senhora que é psicóloga comportamental. Nunca mais me digam que eu não tenho qualificações para aplicar a qualquer cargo, uma adviser para a saúde e epidemias era de supor que fosse de epidemiologia. A não ser que não haja epidemia nenhuma e que, a psicologia comportamental seja a ferramenta do momento. Será? Eu sinceramente pensava que havia um vírus, mas quando e olha os factos como este, ele não existe.

Esta senhora tem um fetiche pela China, suponho que a de Mao, do Grande Salto em Frente, em que os camponeses eram obrigados a deitar as suas casas abaixo para produzir fertilizante, atingir as metas, um Grande Salto em Frente e dez saltos para trás, já que criou um mar de milhões de mortos de fome, sem abrigo, más práticas agrícolas fruto das utopias comunistas baseadas no culto da personalidade, no medo, no terror.

Susan Michie, a comunista super-rica que podemos ver na foto abaixo com um quadro de fidel castro e uma brochura de Kar Marx na retaguarda.

Como os super-ricos podem ser comunistas? A resposta é que mercado livre não permite monopólios, a pessoa não é super-rica muito tempo, a história ensina que há sempre uma invenção que irá destruir as vantagens de um determinado negócio, a única maneira é apoiar o comunismo, através de intervenção política o super-rico consegue 100% de quota de mercado, o comunismo é monopólio de tudo, até da morte, é bom lembrar, a quando da queda do muro de berlim, no dia seguinte havia seiscentos oligarcas, muito ricos, alguém era dono do país e de todo o mercado.

O lugar favorito desta senhora é Havana, o que indica que é uma agente do comunismo. Um tipo comunista que visita havana, ou é espião ou na volta deixa de ser comunista. Um hospital em Cuba é como uma capoeira das galinhas, não há dinheiro nem para papel higiénico, o que tem vantagens, quando chegou o comunavírus chino, não houve corrida ao papel higiénico.

Em março de 2020 a Susan recomendava ao Boris:

‘Um número substancial de pessoas ainda não se sente suficientemente ameaçado pessoalmente.’ Portanto, precisávamos ter um pouco mais de medo. Recomendou: ‘O nível percebido de ameaça pessoal precisa ser aumentado entre aqueles que são complacentes, usando mensagens emocionais contundentes.’

Ela habilmente retratou as medidas de quarentena, de prisão domiciliar ao uso de máscaras, como altruístas e generosas, fazendo com que não-conformistas e dissidentes parecessem estúpidos, egoístas e mesquinhos.

E continua :


O marido dela é o ex-acessor de Jeremin Corbin, tudo comunista como convém.

Enquanto ela demandava por mais restricções, a china crescia maravilhosamente, em 2020 o PIB cresceu 8%, fazendo fé nos números oficiais.

A 24 de Fevereiro afirmava ” Supressão máxima parece ser uma boa maneira de expressar o objetivo de ZeroCOVID” Um mundo feliz, a imortalidade do corpo é o objectivo. Há sempre quem acredite.

Como David Rennie, chefe da sucursal do The Economist em Pequim, observou recentemente: “É muito difícil saber onde começa a contenção do Covid e surge um estado policial comunista com uma obsessão por controle”.

Como o empresário e ex-presidente do Channel 4 Luke Johnson observou secamente: “Susan Michie é membro do Partido Comunista. Eles sabem tudo sobre como controlar o comportamento em lugares como a Coréia do Norte comunista.”

Os seus elogios à China continuam até hoje, e as suas taras por quarentenas, máscaras e veneno inoculado, se o paciente não quer terá de ser obrigado.

Em 2013 vendeu uma herança de família – uma pintura de Picasso chamada L’Enfant Au Pigeon – para a realeza do Qatar por £ 50 milhões, não se consta que tenha distribuído o dinheiro como devia, de acordo com a igualdade marxista.

É caso para perguntar…A Bába foi imposta ao Boris por Pequim e seus aliados, ou foi ele mesmo que a escolheu?